Publicidade

in

Dolar em alta R$ 5,60 mesmo após veto da Camara sobre o presidente

Nas alturas cada vez mais Dolar se mantém em R$ 5,60 veja a matéria completa abaixo

dolar a 560
dolar a 560

Apesar da vitória expressiva do governo na Câmara sobre o veto, voltamos ao velho ditado: ‘tudo bem, nada resolvido’”, afirma o economista-chefe da Infinity Asset, Jason Vieira. Para ele, “o governo de procissão está refém de suas próprias escolhas políticas e deve agora concentrar esforços de seu sistema operacional na aprovação de reformas, principalmente tributárias e administrativas.

Publicidade

Cena local e ao ar livre

Na noite de quarta-feira, a Câmara realiza os Deputados manteve a proibição de realizar o presidente Jair Bolsonaro à concessão de reajuste aos servidores públicos. A decisão, que evita um impacto excepcional de R $ 120 nas contas públicas, foi tomada depois que o Senado votou no dia anterior pelo levantamento da proibição, em uma derrota para o governo.

Publicidade

Publicidade

O máximo até agora chegou a R$ 5,6251.
O dólar do turismo está cotado a R$ 5,88.

Publicidade

No outdoor, o viés dos mercados é cauteloso. Os sinais dos sistemas operacionais de que a recuperação da atividade econômica internacional não deve ser em ‘V’ absoluto começam a aparecer com mais clareza. No Japão, o Índice Composto dos Gerentes de Compras (PMI) mostrou estagnação nos níveis de contração da atividade em agosto.

Publicidade

Na quinta-feira, o dólar disparou em meio a preocupações com a trajetória dos gastos públicos e fechou em alta de 0,43%, a R $ 5,5522. No mês, já subiu 6,43% e, no ano, 38,47%.

O Ministério da Economia comemorou a votação, dizendo que uma derrubada da proibição de executar teria “graves consequências”. Na quarta-feira, o ministro Paulo Guedes havia dito que o Senado deu “um mau sinal” e classificou a decisão como “atividade criminosa converse com o país”.

Publicidade

Publicidade

Neste pregão, o Banco Central realizará leilão de swap tradicional para rolar até 12 mil contratos com vencimento em março e julho de 2021.

O dólar volta a operar em alta nesta sexta-feira (21), mesmo depois que a Câmara reverteu a votação do carry out no Senado e manteve a proibição do presidente Jair Bolsonaro de conceder reajustes salariais aos servidores públicos, e no contexto de renovadas preocupações com a recuperação do ritmo do economia internacional.

Publicidade

Na quinta-feira, o dólar disparou em meio a preocupações com a trajetória dos gastos públicos e fechou em alta de 0,43%, a R $ 5,5522. Lá fora, o viés emitido pelos mercados é cauteloso. No Japão, o Índice Composto dos Gerentes de Compras (PMI) mostrou estagnação nos níveis de contração da atividade em agosto.

Publicidade